terça-feira, 21 de junho de 2011

Porque só o Corinthians não pode receber isenção fiscal?

Nestes último meses, enquanto se parece inevitável a construção do estádio em Itaquera, muitos principalmente na imprensa, atacam o Corinthians pelo fato da PL de isenção fiscal para obra da arena que pode abrigar a abertura da Copa em 2014. A questão que outros clubes já receberam, iram receber ou vão receber isenções ficais, e ai cabe a pergutna do post: Porque o Corinthians não pode?

Refiro-me àqueles que se posicionam contrariamente adotando uma posição de guardiões do dinheiro público. Essa é o discurso escondendo a verdadeira motivação e a tentar emprestar um caráter respeitável à indignação.

Na imensa maioria dos casos, porém, não sabem nem do que se fala. Em pouquíssimos, sabem que, o preconceito parece falar mais alto.

Muitos têm manifestações motivadas por paixão e/ou ódio clubístico.

Em 2008, um clube recebeu isenção fical para amplicar e reformar seu CT (Centro de treinamento) em Cotia, e o local também é privado e pertence a um grande clube do futebol brasileiro. E pouco, ou nada foi polemizado como está sendo feito para o Corinthians e o seu estádio em Itaquera.

Mas o Corinthians também não é santo. Está usando de uma lei já existem para construir seu sonhado estádio. Nesse contexto se insere o incentivo fiscal, seduzindo particulares a investirem em lugares, até então, pouco atrativos, como a zona leste.

E digo: incentivo fiscal não é dinheiro publico. "Há o aporte de dinheiro particular, com benefícios fiscais".

Mas muitos cornetam que não haveria aporte de dinheiro público, mas haveria redução de receita. Ou seja, dinheiro público não sairia, mas deixaria de entrar o que, nessa visão "míope", seria a mesma coisa. Mas não é.

Esse raciocínio está errado, e ignora uma questão evidente: o que deixa de entrar, na verdade, não entraria mesmo. Sem o incentivo fiscal, o particular simplesmente deixaria de investir na região.

Esse é o ponto: o incentivo visa, essencialmente, desenvolver Itaquera, bairro que, é fácil constatar, não é daqueles tratados, historicamente, com mais carinho pelo Poder Público.

O Corinthians, claro que beneficia-se com esse incentivo. Aliás, já que, não fosse o estádio, a região continuaria pouco atrativa aos olhos de novos investidores, mesmo com incentivos fiscais. É a soma “estádio + incentivo” que levará dinheiro novo e o conseqüente desenvolvimento à região elevando o preço das moradias e gerando empregos. E quem se beneficiará, e último, é o morador de Itaquera, seja ele corinthiano ou não.

Sem falar na infraestrutura que a decadas a região necessita e infelizmente nunca teve, e tem nessa construção de estádio/Copa, como a sua grande oportunidade de desenvolvimento.

Um comentário:

  1. Parabéns, mas, colocaria ai um observação, eles sabem disto, não são burros, mas querem passar para a Sociedade em Geral uma idéia de roubo, fraucatua para tentarem obstruir o desenvolvimento da Zona Leste, pois, não é interessante para eles que querem manter um bolsão de pobreza as margens das regiões mais ricas da Cidade.
    São criatura abomináveis as quais não devemos ter respeito algum.

    ResponderExcluir