quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Queda de guindaste na Arena Corinthians não compromete prazos para abertura da Copa

A Defesa Civil e o Ministério Público estão na Arena Corinthians para a perícia do local do acidente que matou duas pessoas no estádio, na última quarta-feira. O processo deve demorar por volta de quatro horas. O coordenador da Defesa Civil, Jair Paca de Lima, está à frente das operações.

No total, 30% da obra foram interditados, o correspondente a cinco mil metros quadrados. Mas, segundo Lima, que já havia feito uma vistoria inicial na última quarta, isso não deve impedir que a obra continue nos outros setores do estádio. Foi decretado luto de três dias no local e os trabalhos serão retomados apenas na próxima segunda-feira. 

Na última quarta-feira, três estruturas metálicas da obra caíram na parte de trás do estádio em construção, após terem sido atingidas por um guindaste que estava colocando a última treliça, de 500 toneladas, sobre o prédio leste. O painel de LED que fica na parte externa do local também foi danificado. 

Em entrevista com o portal Terra, Walter Torre, presidente da construção Wtorre e com base em informações passadas por duas fontes, o engenheiro acredita que é possível em menos de 2 meses reconstruir a parte na qual foi derrubada.
WTorre afirmou que, quando houve o acidente com a queda de uma parte da laje na Arena Palestra (obra que sua construtora é responsável), em 15 de abril, a obra ficou interditada por 32 dias, mas citou que a culpa foi da demora da perícia. Um operarário morreu na ocasião.
Em nota oficial, o Corinthians e a construtora Odebrecht informam que as obras na Arena Corinthians serão paralisadas e retomadas na próxima segunda-feira.

A Fifa já tem consciência do provável atraso e estimou um adiamento de 45 a 60 dias para a entrega da arena. E ainda garantiu o estádio como o palco de abertura da Copa do Mundo em 2014. Ou seja, a tragédia não compromete o prazo para abertura da Copa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário